mensagem



Este blog tem como objetivo ampliar e qualificar o debate da questão racial e a luta em busca da igualdade social.




terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Abdias Nascimento,desejo realizado


erimônia reúne militantes do movimento negro na Serra da Barriga para deposição das cinzas de Abdias Nascimento
Publicado por em 16/11/2011 (84 leituras)
<{$item.clean_title}>

deposição


“O orum está em Festa”, era final da manhã do dia 13 de Novembro de 2011, quando a viúva Elisa Larkin, segurando as cinzas de Abdias Nascimento, começou a cantar a Oração de Mãe Menininha, que foi composta por Dorival Caymmi, na década de 70.  Militantes de várias regiões do Brasil, África e Estados Unidos, estiveram juntos na Serra da Barriga no Estado de Alagoas (AL), para realização de um evento que entrou para história do movimento negro.

A ministra Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir-PR) esteve na cerimônia    interreligiosa representando a presidente Dilma Rousseff, comentou que “Essa iniciativa recoloca Palmares no centro da resistência no Brasil. Do ponto de vista do enfrentamento ao racismo, Abdias foi um militante que já nos anos 40, antecipou todas as questões importantes sobre a situação da população negra neste país e, de certa forma, traçou naquela época a pauta a ser desenvolvida pelo movimento negro que nasceu a partir da década de 70”.

Amigos, parentes e admiradores se reuniram para concretizar o desejo de Abdias do Nascimento que faleceu em 23 de Maio de 2011, com 97 anos. Ele pediu para que as cinzas de seu corpo fossem depositadas no local que hoje é patrimônio histórico, arqueológico, etnográfico e paisagístico. A Serra da Barriga, localizada no Município de União dos Palmares, fica a 500 metros acima do nível do mar e é um local representativo para a história da negritude, pois foi o lugar em que viveu o líder e herói nacional, Zumbi dos Palmares.

O secretário de Cultura de AL, Osvaldo Viégas, que representou o governador do estado, Teotônio Vilela Filho, falou que o evento foi importante, pois Abdias do Nascimento era uma pessoa que lutou com veemência pela valorização dos afrodescendentes: “O governo de Alagoas tem orgulho de participar deste ato simbólico por tudo que Abdias contribuiu nesta luta pela igualdade”, disse.

Para Karine Limeira que representou o governo da Bahia e a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), “A luta por uma sociedade mais igual precisa ter como norte, a contribuição política e social desse representativo líder negro, afinal, Abdias foi e é uma referência mundial no que diz respeito às ações afirmativas em prol da igualdade racial”.

 Representando a União de Negros Pela Igualdade (Unegro), a vereadora Olívia Santana esteve na cerimônia destacou que: “Depositar as cinzas de Abdias que foi a maior liderança contemporânea nesse país, mostra a continuidade da história de resistência negra brasileira. Esse dia é um marco para nós e agrega mais densidade a esse território sagrado e consagrado”.

Deposição - Após a primeira parte do evento que aconteceu no Batucajé, complexo multiuso do Parque Memorial do Quilombo dos Palmares, todos os presentes acompanharam a plantação da muda de Gameleira, feita pela bisneta de Abdias do Nascimento, Luíza Guzman do Nascimento e na sequência, o plantio do Baobá, que foi feito pelos filhos dele: Henrique, Ozires e Abdias Filho.

Por fim, perto da Lagoa dos Negros, a viúva Eliza Larkim e atriz Léa Garcia, que também foi casada com Abdias, fizeram deposição das cinzas. Todas as mulheres representantes do movimento negro que estiveram presentes foram convidadas a colocar uma lápide em cima das cinzas com a seguinte escrita: Abdias do Nascimento: O pan africanista, elo maior do movimento negro Brasileiro. Franca-SP: 14/03/1914. Rio de Janeiro: 23/05/2011. Serra da Barriga-AL: 13/11/2011.

Para retomar o clima de alegria que faz parte do povo afrobrasileiro e despertar da comoção que tomou conta de todos que estavam acompanhando o evento, a batida enérgica do Ilê Aiyê agitou o evento que foi realizado pelo Estado de Alagoas em parceria com o Governo da Bahia através da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Secretaria de Educação (Sec), Secretaria de Cultura (Secult) e Universidade Estadual da Bahia (Uneb). 

Quem esteve na Serra da Barriga? Crianças, adolescentes, adultos e idosos, várias pessoas estiveram juntas aos familiares de Abdias para celebrar a vida e obra dele.

“Salvador, Cuiabá, Pará, Maranhão, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Ceará, Nigéria, Ghana e EUA. O Brasil e a África estiveram juntos para celebrar Abdias do Nascimento, esse encontro mostra a grandeza dele e o quanto ele conseguiu agregar, gente e ideias na busca de um propósito: A promoção da igualdade racial nesse país que ainda é extremamente racista.”, disse Arísia Barros, uma das organizadoras do encontro e coordenadora do Projeto Raízes de África no Estado de Alagoas.

Seis ônibus saíram de Salvador e levaram uma parte significativa de representantes da Bahia. Mais de 200 pessoas enfrentaram cerca de 9h de viagem para participar de mais um episódio histórico do movimento negro. O membro da Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN), Ademário Sena, que fez parte da comitiva ressaltou que: “Acho de fundamental importância a contribuição social dada por Abdias do Nascimento. Como sou professor vejo que há uma leitura na educação étnico racial, antes e depois dele. Abdias criou um trabalho fantástico numa linhagem que ajuda a orientar novos pensadores”.

Além da Sepromi, Sec, Secult e Uneb estiveram presentes no evento as seguintes instituições: Ceafro/UFBA, Presidente da Fundação Cultural Palmares e sua representação na Bahia, Elói Ferreira e Nairóbi Aguiar, respectivamente, Projeto Conexões, Unegro, Conen, Fórum de Entidades Negras, Fórum de Religiões de Matriz Africana, dentre outras instituições.

Nenhum comentário:

Postar um comentário