mensagem



Este blog tem como objetivo ampliar e qualificar o debate da questão racial e a luta em busca da igualdade social.




terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Cleuza Maria de Oliveira,vitoriosa mulher negra ,parabens.


13/12/2011 - Emoção e aplausos na entrega do Prêmio Nacional de Direitos Humanos 2011

Emoção e aplausos na entrega do Prêmio Nacional de Direitos Humanos 2011
A presidenta da Federação Nacional das Empregadas Domésticas, Creuza Maria de Oliveira,  deu o tom e simbolizou o espírito da cerimônia de entrega do Prêmio Nacional de Direitos Humanos 2011, dia 9 de dezembro, no Palácio do Planalto, com um  discurso em prol da igualdade de direitos entre trabalhadores, homens e mulheres. A solenidade foi presidida pela presidenta Dilma Rousseff e contou com a participação da ministra da Secretaria de Política para as Mulheres (SPM), Iriny Lopes, e do presidente do Senado, José Sarney, além de diversas autoridades do Governo e representantes de entidades e instutições ligadas a direitos humanos.

Trata-se da 17ª edição do prêmio, que presta  homenagens a pessoas que se destacaram no combate às violações dos direitos humanos no País, em diversas áreas. Durante o evento, recebeu homenagem póstuma a juíza Patrícia Acioli - assassinada em agosto passado, pelo crime organizado, no Rio de Janeiro -, na categoria Enfrentamento à Violência. A filha e a irmã da juíza - da Comarca de São Gonçalo - receberam o prêmio das mãos da presidenta da República.

Mais aplaudida durante a solenidade, Creuza Maria  informou que há 7,2 milhões de empregadas domésticas no Brasil, a maioria mulheres negras. Mas ressaltou que a luta  é por direito para todos e contra todo tipo de violência cometida no País. Ao encerrar os agradecimentos, falou da importância  de as mulheres ganharem mais espaço dos poder, porque fazem "a diferença".

Feliz com as declarações de Creuza Maria, a presidenta Dilma pediu licença a José Sarney, quebrou o protocolo e cumprimentou a representante das empregadas domésticas. "Não há possibilidade deste País, com 190 milhões de habitantes,  crescer só para alguns", destacou Dilma Rousseff, ao contestar as desigualdades sociais, vistas como efeitos maléficos ainda da escravidão.

Segundo a presidenta Dilma, os trabalhos dos premiados tornam a sociedade mais civilizada, e o Brasil mais orgulhoso. "O prêmio é um pequeno reconhecimento pelo grande trabalho feito pelos agraciados. O Brasil se orgulha de cada um de vocês", completou, ao encerrar a cerimônia.

Entre os agraciados com o Prêmio de Direitos Humanos 2011 estão: Geraldina Magela da Fonseca, a Irmã Geraldina, na Categoria Dorothy Stang; Rita Gomes do Nascimento, na Categoria Educação em Direitos Humanos; Agência Boa Notícia Guajuviras, na Categoria Mídia; Centro de Defesa dos Direitos Humanos Marçal de Souza Tupã-i, na Categoria Centros de Referência em Direitos Humanos; João Batista Frota, na Categoria Enfrentamento à Pobreza; Amderson Lopes Miranda, na Categoria Garantia dos Direitos da População em Situação de Rua; Ricardo Brisolla Balestreri, na Categoria Segurança Pública; Fórum da Luta Antimanicomial de Sorocaba, na Categoria Enfrentamento à Tortura; Instituto Vladimir Herzog, Categoria Direito à Memória e à Verdade; Flávia da Silva Pinto, na Categoria Diversidade Religiosa; Creuza Maria Oliveira, na Categoria Igualdade Racial; Berenice Bento, na Categoria Igualdade de Gênero; Carlos Augusto Ayres de Freitas Britto, na Categoria Garantia dos Direitos da População de LGBT; Defensoria Pública do Estado do Pará, na Categoria Santa Quitéria do Maranhão; Antonio José Ferreira Lima Filho, na Categoria Erradicação do Trabalho Escravo;  Wanderlino Nogueira Neto, na Categoria dos Direitos da Criança e do Adolescente;  Maria Luíza Teixeira, na Categoria dos Direitos da Pessoa Idosa; Escola de Gente - Formação em Inclusão; Comunidade Indígena Kaingang Fán Nhĩn, na Categoria Garantia dos Direitos dos Povos Indígenas; e Antonio Augusto Cançado Trindade, na Categoria Livre.

O Prêmio Nacional de Direitos Humanos foi instituído em 1995, e a cerimônia de homenagem aos agraciados antecede o Dia Internacional dos Direitos Humanos, que será comemorado amanhã (10), aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948.

Nenhum comentário:

Postar um comentário